Manual de marca: conheça o que é e sua importância - Mangu Brand
 
 

Vamos conversar sobre o seu projeto? SOLICITAR UM ORÇAMENTO

Vamos conversar sobre o seu projeto? SOLICITAR UM ORÇAMENTO

 

Para entender o que é um manual de marca, é importante você ter lido nosso texto sobre identidade visual. Lá, não apenas explicamos detalhadamente o que é esse conceito, o que o compõe e sua importância, como também passamos rapidamente pelo papel do manual dentro dele.

Mas hoje o assunto é diferente… Bem, nem tanto. Hoje a estrela de nosso conteúdo é o manual em si. Afinal, qual é sua importância para uma empresa? O que é exatamente esse tal de manual? O que compõe? Existem dicas para facilitar a criação e organização de seu manual?

Caso você esteja com essas e muitas outras perguntas em mente, fique com a gente até o final deste conteúdo. Seja bem-vindo (a) ao mundo do manual de marca.

 

O que é manual de marca? E qual é sua diferença para o “manual de identidade visual”?

 

O manual de marca, ou também conhecido como manual de identidade visual — ou seja, não existe diferença alguma entre um e outro —, é um documento no qual todas as informações sobre a identidade de sua marca se encontram. Por exemplo, quais são as cores, os grafismos, as tipografias, os padrões, os espaçamentos e por aí vai.

Ele deve ser desenvolvido por um designer e não exige muitas regras sobre como construí-lo. A única que deve ser seguida é: nesse arquivo deve existir todas as informações sobre sua identidade visual, sem exceção. Isso é importante para que exista uma unidade, um padrão de comunicação para a sua marca e para garantir que ela seja seguida seja lá onde ela for usada.

 

Exemplificado o manual de marca

 

Manual de marca com exemplos

Por ser um documento tão importante para a existência de uma marca, você deve imaginar que os grandes nomes e marcas de qualquer tipo de mercado têm o seu próprio manual, não é?

A verdade é que toda empresa que pensa em ter um grande futuro e que procura ser lembrada não apenas por seus clientes, mas também pelo público geral, se preocupa em ter um manual de marca bem estruturado e com o máximo de detalhes.

“Como um documento desses pode causar um impacto tão grande em um negócio?”, você deve estar se perguntando. Bem, você entenderá a importância dele um pouco mais pra frente no texto. O que você precisa saber por ora é que todo o modo como uma marca se comunica é regido e depende — e muito — do manual.

No mercado publicitário, ouvimos e falamos muito sobre comunicações sólidas e como elas são necessárias para fazer um negócio alcançar seu máximo potencial e atingir mais e mais clientes. E adivinha quem é um dos principais personagens desse cenário… Exato, o manual de marca. É ele quem vai guiar todo um time de profissionais e que vai garantir uma padronização na comunicação — padronização tal que, se bem pensada e aplicada, fará todos lembrarem quem essa marca é.

Para te ajudar a visualizar melhor como é a estrutura desse documento e te ajudar a entender melhor os tópicos que estão por vir, separamos manuais de duas gigantes do mercado mundial. Lembrando que não existem padrões exatos de como construir esse conteúdo. Estes são apenas exemplos. Confira:

Para exemplificar como a identidade visual e o manual de marca são a alma da comunicação de uma empresa, no começo deste tópico você viu uma imagem composta por diversos logos de marcas importantes. Mas você notou uma coisa? Não havia nomes ou os logos completos dessas empresas. Apenas grafismos e cores. Esse é o poder de uma identidade e da padronização que o manual de marca proporciona à uma comunicação.

 

Afinal, quando ter um manual de marca? E qual é sua verdadeira importância?

 

Bem, uma pergunta por vez.

 

  • Quando ter um manual de marca?

Essa é fácil de responder. Isso porque a partir do exato momento que uma empresa é criada, é necessário que junto com seu nascimento haja também a criação de seu manual de marca.

Mas vamos com calma. Caso o negócio esteja dando seus primeiros passos, não há necessidade de sair fazendo um material enorme e extremamente complexo. O que queremos dizer com isso é que o manual reflete também o crescimento da empresa. Caso ela esteja em seus primeiros meses de vida, esse guia pode ser detalhado e completo, porém simples, apenas contendo todas as informações necessárias. Conforme a marca for se desenvolvendo e o negócio for crescendo, encorpando, o manual vai ganhando mais detalhes, informações e páginas.

A necessidade da existência de tal manual de marca vai depender da visão do empreendedor para a mesma. Caso ele tenha como objetivo o crescimento da empresa e em seu planejamento exista essa perspectiva, então o ideal é que o empreendedor já tenha em mente contratar os serviços de uma agência para fazer o estudo e a criação do manual.

 

  • Qual é a importância do manual?

Agora, quando a pergunta é sobre a importância de tal documento, aí o assunto fica sério. Respondendo de um modo direto: ele tem toda a importância.

Acima, já deu para entender um pouco como o manual tem um impacto enorme em um negócio, mas podemos nos aprofundar um pouco mais nessa questão.

Primeiro, agora que sabemos o que é um manual de identidade, vamos relembrar qual é o seu propósito dentro de uma empresa. Sua missão é padronizar toda a comunicação e a identidade da marca de modo aprofundado. Ele faz isso descrevendo cada grafismo, cor, fonte e até tom de comunicação. Tudo para garantir que a comunicação da empresa tenha uma consistência em todas as suas aplicações, fazendo com que qualquer pessoa, seja outras empresas, seu público-alvo ou seus trabalhadores, consiga reconhecê-la onde estiver.

Como esse arquivo serve como um guia — literalmente um “manual” —, fica fácil para qualquer profissional, a qualquer momento, entender a identidade da empresa e reproduzi-la sem dificuldades. E quando falamos “profissionais”, não são apenas seus próprios colaboradores, como também seus fornecedores ou representantes.

O seu manual será como a bíblia de sua comunicação.

 

Agora chegou a parte boa: vamos entender o que compõe um manual de marca

 

Manual de marca e o que o compõe

 

Certo, agora já sabemos o que é, quando ter e qual é a importância de uma empresa ter um manual de marca. Pois então está na hora de entendermos cada item que compõe esse documento.

Lembrando sempre que não existe um padrão. A única regra que precisa ser respeitada é a de que o manual tenha todos os detalhes mais importantes sobre a identidade da marca. Mas é bacana manter em mente que os itens que citaremos abaixo são os mais básicos para se ter em um guia. Então, vamos lá?

 

Nada melhor do que uma introdução

A primeira parte não teria como não ser a introdução. Aqui não tem segredo: esta é uma apresentação com um rápido resumo do que o leitor encontrará neste documento. Simples, não é?

 

Um sumário torna tudo mais fácil

Assim como na primeira parte, no sumário também não existe muita coisa para se entender. Não necessariamente o manual precisará de um sumário. Isso vai depender da complexidade do guia. Se ele tiver muitas páginas, é ideal que exista um sumário para ajudar o profissional que for consultá-lo a se encontrar mais rápido. Mas caso o manual seja um pouco mais simples, talvez um sumário não se faça necessário.

 

Tom de discurso de uma marca também faz parte de sua identidade

Não só de grafismos e artifícios visuais viverá uma marca. O modo como ela se expressa, o tom de seu discurso ou de sua voz, também é uma característica pra lá de lembrada pelo público e o mercado.

Tome como exemplo a Netflix ou o Nubank: quando pensamos em ambas as marcas, o modo como elas se comunicam em suas campanhas e em suas redes sociais é uma das primeiras coisas que vêm em mente.

Por isso, em um manual de marca também é essencial descrever como a empresa fala. Faz parte de quem ela é.

 

Por que seu logo existe? Justifique

Logo em seguida, vem a oportunidade de explicar outra coisa que é extremamente importante para uma empresa: o logo. Esse item é outro daqueles que representam uma marca e a faz ser reconhecida esteja onde estiver.

Aqui, será apresentado todo o conceito usado para criar o logo, juntamente com o porquê de cada elemento escolhido para construí-lo. Nesta parte também será descrita a maneira correta de usar o seu logo.

Por conta do manual ser um guia, é necessário que seja explicado o modo correto de se reproduzir seu logo — ou seja, sua marca — na comunicação como um todo. Por isso, descreva quais são as proporções corretas, qual é o tamanho mínimo que ele pode ser aplicado e quais são as variações que ele pode ter — como a versão do logo na vertical, na horizontal, monocromática, apenas o símbolo sem nenhum texto, etc —, e também exemplifique tudo isso, mostrando visualmente tudo o que pode ser feito com sua marca e o que não pode.

 

A aquarela da marca: uso das cores

Outro item de um manual que não tem muito segredo. Nesta parte, será explicado o uso das cores escolhidas para representar a empresa, contendo também os códigos RGB, CMYK ou Pantone correspondente a cada uma delas.

 

“T” de “tipografia”

Chegou o momento de explicar a tipografia, ou tipologia, escolhida para a comunicação da marca e também sua hierarquia — qual fonte será usada em títulos, nos subtítulos e em parágrafos de texto corrido, assim como o porquê dessas escolhas.

 

Uma imagem fala mais do que mil manuais

Você achou que o estilo fotográfico da marca não seria explicado por aqui? Pois ele será. Afinal, se a empresa retém um estilo fotográfico específico dela, é importante que ele seja explicado para, assim, ser reproduzido com precisão, mantendo a qualidade e a identidade do estilo fotográfico dela.

 

Elementos de grafismo: o que são? Onde vivem?

É óbvio que esse item existiria em um manual. Sendo uma das principais partes de uma identidade visual, eles não poderiam ficar de fora do documento que expressa e explica cada item que a compõe.

Os elementos de grafismo usados na composição da identidade da marca podem vir em várias formas, como por exemplo em patterns, ilustrações, texturas, ícones, formas geométricas e por aí vai.

 

Composição, codinome “aplicação”

Nesta parte, não existe muito segredo também. É nela que a empresa poderá mostrar como suas peças de comunicação podem ser construídas, com especificações, regras de layout e muito mais.

Esse item também pode ser conhecido como “aplicações” em alguns guias. Ele não é obrigatório, mas definitivamente pode ajudar e muito os profissionais que serão responsáveis pela comunicação visual da marca a ter um direcionamento muito mais eficiente.

 

Erros que podem e devem ser evitados ao construir seu manual de marca

 

Agora que estamos por dentro de tudo o que faz o manual de marca ser o que ele é, chegou a hora de aprendermos os possíveis erros que devem ser evitados na hora de criar um. Afinal, essa parte vital para a marca precisa ser feita impecavelmente, não é mesmo? Então vamos conferir três pontos que precisam de uma atençãozinha extra.

 

  • Ninguém gosta de ficar desatualizado, nem seu manual.

Depois de todo o trabalho e estudos cuidadosos feitos para construir esse material rico, pode parecer que o resultado final será eterno, uma regra final, porém não é bem assim que funciona. O que queremos dizer com isso é que mesmo que o resultado final seja exatamente o esperado e que expresse 100% o que é a marca, em um momento ou outro, a necessidade de atualizá-lo aparecerá.

Essa atualização pode vir por várias necessidades: novos produtos, novos uniformes de colaboradores, novos projetos que pedem coisas que ainda não haviam no arquivo original ou, em casos extremos, até mesmo a total repaginada da identidade visual — também conhecida pelo nome de “rebranding”.

Fato é que manter o manual do mesmo jeito, imutável, significa que a marca não está evoluindo ou até mesmo que ela possa, em algum momento, ser usada de modo errôneo. Por isso, seja qual for o motivo pelo qual você fará esta atualização, não tenha medo. Faça mesmo.

 

  • Não esqueça de nada, nada, nada!

Este tópico será rápido, pois já falamos muito sobre isso no conteúdo como um todo: não importa se o manual será algo complexo ou simples, ele deve conter todos os detalhes sobre a identidade da marca. Quando falamos “todos”, não estamos brincando.

Por isso, deixar de incluir qualquer elemento ou detalhe é expressamente errado.

 

  • Quer um resultado profissional? Então precisa ser feito por um profissional.

Quem precisa fazer a criação deste conteúdo rico em detalhes sobre a comunicação da empresa são… bem, profissionais da comunicação e do design. A importância que este documento tem para a empresa precisa ser levada em máxima consideração. Isto significa que ele precisa ser feito de modo responsável, sério e confiável, coisa que apenas um profissional pode fazer.

 

O que pudemos aprender hoje?

 

Em resumo, o guia de identidade de uma marca é importante demais para ser deixado de lado ou ignorado. Como dissemos antes aqui, se a empresa deseja um porvir próspero e grandioso, o manual de marca também deve estar incluso nesse olhar para o futuro.

Não criar um manual de marca significa que a comunicação da marca não será regular, não terá um uso padronizado. E isso pode ocasionar problemas sérios, como a marca sendo usada sem estratégia, de maneira irregular, e isso aos olhos do mercado não é algo positivo. Veja, se nem mesmo a empresa tem um olhar planejado e bem definido sobre si mesma, como o resto do mundo terá?

Para impedir que isso aconteça, conte com profissionais que façam um trabalho de qualidade. E, para isso, você pode contar com a Mangu! Confira nossos serviços de identidade visual e garanta que seu manual seja feito com eficiência e profissionalismo.

Compartilhe:
Design
Foto perfil Alex Canpe Escrito por Alex Canpe
06/11/2021

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

 

CONSULTORIA GRATUITA

Vamos definir juntos a melhor estratégia para o seu negócio. Agende um horário para falar com um de nossos especialistas!

Mangu Brand – Design de Identidade © Todos os direitos reservados.